Retome o que é seu!

Li recentemente no ótimo papo de homem uma matéria acerca do estado de “desapropriação” que vivemos. Somos desapropriados de tudo aquilo que temos condições de fazer e sentir no momento em que deixamos que qualquer outra “coisa” defina nossas prioridades ou ainda como devem acontecer. Somos desapropriados de nossa capacidade de decidir quando um anúncio de refrigerante nos impele à glicose mostrando o lado bom da vida como pano de fundo. Somos desapropriados de nossa capacidade de sentir quando um punhado de bits define nosso “parceiro ideal”. Somos desapropriados de nossas vidas quando o sentimento de incapacidade inibe as infinitas possibilidades de realização.

“Sofremos quando tentamos terceirizar o que nos faz humanos” – Gustavo Gitti

Nossa capacidade, como SER, é natural e infinita. Mas, não necessariamente um programador – apesar de crer que esta seja sua virtude -, é de fato um melhor programador. Entendo que a principal chave para a “reapropriação” passa por descobrir novas e muito provavelmente grandes virtudes, deixando de ser simplesmente “mais do mesmo”, deixando aquela pulga atrás da orelha coçar de verdade. Pode parecer impossível tocar um instrumento, aprender um novo idioma, cada um tem, inventa e até toma emprestado seus motivos; mas até onde o sentimento de incapacidade nos é embutido?

drresolve
Franquias de “Você não consegue”

Tentando ajudar um pouco, vou deixar um link com uma lista de 100 sites povoados dos mais diversos tutoriais – ou -, ensinando desde como trocar uma lâmpada até regular um carburador. É uma boa maneira de reapropriar-se de sua capacidade de fazer as coisas, começando por deixar de pagar um encanador e passando a saber como sua pia funciona. Não, consertar a pia não te deixará rico, maravilhado com o mundo das tubulações, confiante com o mundo e consigo mesmo. O mais importante é o empurrão.

http://earthweareone.com/100-amazing-how-to-sites-to-teach-yourself-anything/